Vamos imaginar que você esteja no ônibus e um sujeito começa a olhar para você, a encarar da cabeça aos pés, chega ao seu lado e diz: “Não gostei de você!” – Qual a sua reação? Ignora? Fica com raiva? Parte para a agressão? Independentemente de qual seja sua atitude, imagino que assim como a maioria das pessoas seja mais voltada ao repúdio que ao afeto pelo tal sujeito.

Agora vamos imaginar que você seja um comerciante, entra um sujeito na sua loja, passa o olho em todos os produtos, chega ao seu lado e diz: “Não gostei da sua loja!” – Você vai ignorá-lo? Creio que um bom comerciante antes de repudiar o comentário do tal sujeito vai querer entender as razões que o levaram a tecer tal comentário e procurar atendê-lo da melhor maneira possível.

Se ambos os casos apresentam um situação semelhante, por que quando se trata de uma empresa nossa reação tende a ser mais amena do que na vida pessoal? É notório que a Administração evoluiu muito desde a revolução industrial, mas o que nós aprendemos efetivamente com ela? Como podemos aplicar as teorias econômicas, administrativas, financeiras e de marketing na nossa vida pessoal?

Primeiro passo: aceite a realidade. Por mais que você não queira, você é uma empresa e suas relações com seus parentes e amigos são nada mais do que relações comerciais movidas pelos seus interesses pessoais. Você se vende para os seus amigos assim como um bananeiro vendes suas bananas a um freguês. Como qualquer empresa, você tem a sua marca, seu mercado, suas finanças para gerir e, claro, seu produto para vender – você.

A idéia de criação deste espaço surgiu após muitas conversas viajantes em mesas de bar (e por que não com um golinhos a mais) que deixavam minha imaginação fluir neste sentido intrigando amigos e companheiros de mesa, os quais sempre me desafiavam a defender minhas teses aparentemente malucas de que sim, cada um de nós é uma empresa.

Neste sentido, pretendo aqui abrir espaço para a discussão e criação do maior número de analogias entre o nosso comportamento pessoal e o modo como as empresas agem que nos possibilite repensar o modo como nos vemos e como vemos as nossas empresas.