Prezados alunos,

Surpreendo-me com a quantidade de alunos em sala que estão no último ano da faculdade e apresentam um conhecimento que mal beira o superficial a respeito do seu mercado de atuação.

Como docente tenho a obrigação de alertá-los quanto a isso e a primeira impressão que tenho é que vocês estão extremamente crus e despreparados para enfrentar o mercado de trabalho, ainda mais se levarmos em conta suas ambições em função dos cargos que almejam (minhas pequenas enquetes em sala apontam que a maioria demonstra vontade de ao menos chegar a posto de gerência, certo?).

Se vocês estão na faculdade é porque vocês estão dispostos a batalhar por ter um pouco mais, a grande maioria de vocês acorda cedo, rala duro de dia, enfrenta a faculdade a noite e ainda tem que suportar nosso nada amigável sistema de transporte público para atravessar a cidade entre casa, trabalho e faculdade. Casa e trabalho são inevitáveis, todo mundo precisa dedicar parte do seu tempo a isso, mas a faculdade foi uma opção de vocês! Vocês optaram por sacrificar ainda mais o seus dias pesados para poderem crescer intelectualmente e profissionalmente.

Não é fácil optar pelo caminho mais difícil, mas aqueles que optaram pelo caminho da dor, são hoje nossos maiores exemplos de conquista e superação. Vocês já deram o primeiro passo neste sentido. Aceitar o desafio de fazer uma faculdade já é uma vitória, pequena, muito pequena, é verdade, mas toda caminhada começa com o primeiro passo.

Como nem sempre é fácil, deixo em minha mesa um pequeno dizer: “Jovem, a maior derrota da vida é a fuga diante das dificuldades.”

Para tentar dar uma ajuda para vocês, tomei a liberdade de escrever alguns conselhos, os quais embora possam parecer elementares, nem sempre os vejo sendo postos em prática:

1. Leiam Jornais

Dediquem aquela 1h diária que vocês gastam no Facebook para ler um bom jornal (pode ser o site de um bom jornal), escolha um jornal de conhecimentos gerais (O Estado de S. Paulo ou Folha de S. Paulo) e um de negócios (Valor Econômico ou Brasil Econômico) e leiam as principais notícias do dia. Entrem no site do Valor cliquem em busca e coloque palavras como “hotel”, “hotelaria” e “turismo” e direcionem a leitura de vocês para notícias que sejam do vosso interesse.

Esqueçam os jornais e periódicos de notícias pagas e fofocas do setor, eles pouco tem a acrescentar para vocês.

2.Estudem e Trabalhem

Estudem e trabalhem duro, essa é a única forma de se conquistar efetivamente alguma coisa na vida. As teorias neoclássicas da economia comprovam isso.

3. Não contem com o QI

Ouço constantemente as pessoas dizendo que se tivessem um QI (o tal do “Quem Indica”) tudo seria diferente. Me desculpe a franqueza amigo, mas esse QI aí não surge do nada, esquece aquele papo de “um amigo de um conhecido é diretor de tal empresa e vai me indicar…” – isso não existe! O QI só funciona com gente competente, portanto antes de ir atrás de um QI, demonstre que você é capaz.

Sabe aquele seu amiguinho da faculdade que está num super emprego bacana? Então, quando abrir uma vaga para trabalhar com ele, ele não vai te indicar para o chefe dele! Não que ele não seja seu amigo, mas porque ele te conhece e certamente não vai querer queimar o filme dele com o chefe por ter te indicado, não por um acaso esse seu amigo é o cara que fazia todo trabalho do seu grupo e te carregava nas costas durante toda faculdade. – E você acreditando que simplesmente porque ele era seu amigo a mamata ia continuar no ambiente de trabalho? Desculpe nobre aluno, na faculdade você pode até encontrar caras assim, porque lá o seu amigo está pouco se importando se você faz ou não a sua parte, ele faz a dele e só ele tem a ganhar com isso, se você tirou um 10 e ele também, não tem problema, na faculdade todos podem tirar 10 e passar, mas na vida real colega, só os fortes sobrevivem, em um ambiente onde só um aluno pode tirar 10 e quem tira menos de 10 não passa, você tá fora.

Aliás, lembra aquele seu contato que era diretor de uma grande empresa e ia te arranjar uma brecha para trabalhar lá?!… Então se você não está trabalhando lá até hoje, existe um sério risco dele justamente não ter te contratado por saber quem você realmente é.

4. Parem com o mimimi, ajam!

Ninguém vai te dar uma chance, você precisa criá-la! Cuidado com esse papo de que temos que aproveitar as oportunidades, quando alguém diz isso pra mim logo me vem a imagem de um rio com um forte correnteza na minha frente passando um monte de coisas boiando no rio e entre folhagens, tocos e garrafas pet passam caixinhas de oportunidade, basta eu aproveitar quando uma dessas passar, colocar no bolso que eu ficarei rico. Não, isso não existe! As oportunidades são como as pedras, estão em todos os lugares, mas precisam ser lapidadas para serem valorizadas, ou seja, sem o seu trabalho, sem a sua ação, as oportunidades não são nada. E não fique aí parado a espera de um diamante para você lapidar, comece logo esculpindo o que aparecer na sua frente, seja um granito ou um basalto. Não subestime seu trabalho, é a partir daí que você vai ganhar experiência para identificar, aproveitar e lapidar os diamantes lá na frente.

Como dizem os mais velhos, não dá para ruminar sem ter pastado. Parem de reclamar que a vida não te dá oportunidades, as oportunidades são mais abundantes justamente nos ambientes de maior dificuldade, quando tudo está bom, há menos espaço para se aperfeiçoar, melhorar e aprender com os erros. Neste sentido, tratando-se do mercado de turismo e hotelaria, o que não faltam são oportunidades… Portanto, se você insiste em dizer que a vida não te dá oportunidades, ou é porque está tudo bem, ou porque você não sabe aproveitá-las.

5. Agradeçam pelas segundas-feiras de cada semana (xinguem as sextas).

Faça aquilo que você gosta, mas se não der (e nem sempre é possível) aprenda a gostar daquilo que você faz. Aliás, me arrisco dizer que só consegue fazer aquilo que gosta quem aprende a gostar daquilo que faz.

Por fim,

“Antes de fazerem uma crítica procurem pelo menos dois sinceros motivos para elogiar, antes de fazerem um pedido procurem pelo menos dois motivos para agradecer”.

Abraços,

Francisco Burckas

(Esta carta é baseada em um e-mail enviado aos alunos em 19 de abril de 2013)

Comentários

There are 2 comments for this post.

  1. Gilmara R. Machado on outubro 3, 2013 3:01 pm

    Formidável! Professor sou aluna da UNIP- Gastronomia e esta carta é um tapa com luva de pelica para “aqueles” alunos que só querem se encostar e dizem que faculdade é balela. Estou na segunda faculdade e se eu sobreviver até lá irei me especializar fora do país, Precisamos deste puxão de orelhas para nos concientizarmos que precisamos lutar

  2. Mayara on dezembro 8, 2013 6:53 pm

    Muito bom, professor!! Acho que nós precisamos de incentivos assim, sem mimimi. Diferentemente das pessoas que ficam acomodadas e só acreditam em frases: Calma, tudo tem seu tempo!
    Tenha fé que você vai conseguir.
    Claro, necessitamos de fé, mas o que adianta fé se não agirmos?
    Hoje estou de exame na sua matéria, mas sei que faltou esforço, às vezes nos dedicamos mais ao emprego do que as aulas. Está sendo difícil? Sim! Mas ninguém me falou que iria ser fácil. Bora estudar e passar no exame kkkkkkk.
    Abraços!!

Deixe seu comentário